Nestes dias fico a pensar na autonomia – e paralelo sofrimento – da condição urbana, tanto aqui como no Brasil.

Nas palavras imortais do sambista Zé Keti

“Fale de mim quem quiser falar
Aqui eu não pago aluguel”